segunda-feira, 28 de março de 2016

App para os churrasqueiros de plantão

A Rede de Supermercados Comper lançou um aplicativo super bacana! Trata-se do “Carne Fresca” um app que permite aos clientes fazerem seus pedidos e retirarem no dia e horário de sua preferência.

Além disso, o aplicativo envia dicas de como calcular a quantidade de carne para o churrasco, como temperar e preparar cada tipo de carne, além de receitas incríveis de chefs de cozinha e dos próprios clientes.

O app, por enquanto, funciona apenas para os moradores de Campo Grande e os pedidos de carnes frescas poderão ser feitos, de acordo com a diretoria do Comper, nas lojas Hipercenter Jardim dos Estados, Zahran, Tamandaré e Brilhante.

De acordo com a diretoria da Rede Comper, o projeto da carne fresca obedece todas as exigências de qualidade impostas pelos órgãos de fiscalização. A carne abatida, no máximo até 48 horas, chega às lojas, sendo exposta nas bandejas dos açougues.

quarta-feira, 9 de março de 2016

Como pintar a parede sozinho

Tá afim de mudar o visual de casa sem gastar muita grana? Ou, pior, precisa entregar sua casa ao locatário e vai ter que acabar gastando com pintura?

Encontrei esse vídeo ótimo que pode ajudar você. Dá o play!

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

SOS Comida: Ovos no Purgatório - receita da linda da Nigella Lawson

Acabou de bater aquela fome e vi que só tem ovo na minha geladeira! Sento e choro? Não! Quando a vida te dá ovos, faça uma omelete, oras! Rs...

Mas se você quiser fugir do óbvio, segue uma receita - fácil, acredite - da Nigella Lawson  que eu amei e sempre que posso faço. Ela se chama Eggs in Purgatory ou, Ovos no Purgatório.

Eggs in Purgatory! Nhaaammmm!!! (fonte: Pinterest)


Você vai precisar de:
- azeite de oliva;
- três dentes de alho
- três tomates pelados e amassados (pode ser aqueles de latinha)
- sal e orégano

Primeiro, frite o alho no azeite de oliva até ficar bem douradinho. Acrescente os tomates pelados e amassados (quanto mais você amassar os tomates, mais molho vai ter... você pode fazer isso na própria latinha) e tempere com sal e orégano a gosto. Quando começar a ferver, acrescente os ovos com bastante cuidado, para não quebrar a gema. Tampe a panela (ou a frigideira alta que é mto mais fácil para você comer o prato pronto depois) e deixe cozinhar. Abra de tempos em tempos para checar o ponto do ovo. Eu adoro a gema beeeem molinha, então quando vejo a clara já formada e cozidinha, desligo o fogo.

Coma os ovos e o molho com pedaços de pão, torradas, pão sírio ou com um arroz branquinho, que também fica delicioso!

A Nigella come com pão e, pessoalmente, eu acho simplesmente maravilhoso!

Confira aqui o vídeo (todo em Inglês. Sorry, amigos!)


PS: Como não amar a Nigella??? Ela faz os pratos dela e come com uma vontaaaaade depois! Dá gosto de ver!



segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

Juntou as escovas? Perante a lei isso é mais do que você imagina

Há um momento em que a Casa de Um pode ocasionalmente sentir aqueeeela vontade de multiplicar números e aumentar um pouco a conta. Normalmente isso acontece quando a criatura que mora sozinha entra num processo de “me apaixonei e parece que a parada é séria”.


O processo pode acontecer de várias maneiras. Tem aqueles casais que vão passando tanto tempo juntos, mas tanto tempo que acabam se aboletando na casa de um deles e começam a levar objetos pessoais, roupas… e aí vão ficando e quando percebem, pronto, estão morando juntos. Outros, são mais organizados, sentam e combinam data e condições para que essa divisão de moradia aconteça. Outros acabam juntando as escovas de dente por uma questão de praticidade e até de economia.
A verdade é que abandonar os hábitos de quando se mora sozinho para dividir a casa, não com um amigo, mas com alguém pelo qual você tem sentimentos românticos, é uma baita decisão na vida.
Segundo a psicóloga Juliana Canhete, juntar os trapinhos marca a passagem para a vida adulta e conjugal. “Envolve uma carga emocional muito grande, assim como qualquer mudança de vida. Em primeiro lugar é preciso ver se realmente se quer morar junto por expectativas de crescimento na relação e não para fugir da solidão ou deixar o lado financeiro mais tranquilo", diz.
Ela lembra que "existem pessoas que fazem a opção de morar com o seu parceiro pelo simples fato de quererem facilitar a vida e não em ter em comum uma vivência a dois. Antes de tudo é preciso fazer uma reavaliação desse relacionamento e se realmente o fato de irem morar juntos vai acrescentar nessa vivência. As pessoas esquecem que por trás dessa decisão existem sentimentos e expectativas colocadas em outro indivíduo. Muitas vezes essa decisão causa muitos problemas futuros que poderiam ser evitados com um pouquinho mais de paciência”, explica.
Para Juliana, o segredo para a decisão dar certo está em ter metas. Elas são fundamentais para o bom andamento em tudo na vida. “É preciso ver o que se quer para o futuro. Ter alguém para dividir a vida pode ser maravilhoso, mas isso vai depender do grau de amadurecimento de cada indivíduo e de comprometimento dentro dessa relação.”
A jornalista Bruna Lucianer já batia a marca de 10 anos morando sozinha quando decidiu morar sob o mesmo teto do professor Ian Rari. “Foi uma decisão que partiu um pouco dos dois. A questão é que eu precisava sair de onde estava, porque estava morando temporariamente na casa de uma amiga, até conseguir comprar um apartamento. Comecei a namorar o Ian e ele havia se mudado para a casa própria há poucos meses. Aí perdeu o sentido eu comprar ou alugar algo, já que percebemos que ficaríamos juntos. Então no dia 13 de março anunciamos o noivado para as nossas famílias e no dia seguinte eu me mudei pra cá”, conta.
O relacionamento tranquilo do casal ocorre também pelo fato de que os dois se dão muito bem e têm personalidades parecidas. Além disso, sabem dividir bem os problemas e a rotina que uma casa pede. “Pela primeira vez em 10 anos eu posso dizer que vivo tranquila e feliz nesse sentido. Eu dividi casa com quase 10 pessoas diferentes nesse tempo, e sempre havia uma dificuldade ou outra. Agora não”.
Casados - Mas você sabia que perante a lei, um casal que vive junto mesmo não sendo casado é visto como um casal normal, como se casados fossem? Com todas as garantias, direitos e deveres? Exatamente! É o que explica o advogado Hugo Fanaia de Medeiros. A grande diferença é que o casal que se casa, já no ato do casamento, terá total segurança jurídica em relação ao regime de bens a ser adotado, ou seja, a partir dali, ambos já sabem o que lhes cabe na relação.
“Já o casal em união estável poderá ter sua relação reconhecida em algumas oportunidades. Primeiramente, o casal pode ir ao Cartório Extrajudicial fazer um documento que se chama "Declaração de União Estável", no qual será previsto o regime de bens que será adotado; ou, se quiser detalhar um pouco melhor as coisas, é sempre bom contar com a ajuda de um advogado de confiança, nada impedindo que cada um possa ter o seu, para que seja feito um verdadeiro contrato, que é chamado de contrato de união estável, que posteriormente será levado a registro no Cartório.
Por fim, a união estável poderá ser reconhecida pelo Poder Judiciário no caso de separação do casal, o que se dá através de uma ação chamada "Ação de Reconhecimento de União Estável", no qual será verificado pelo juiz desde quando o casal está junto, o que lhes cabe de cada um, pensão alimentícia e até mesmo guarda dos filhos, se houver. Nesta situação, o regime de bens ficará como parcial, ou seja, somente os bens adquiridos durante a relação é que serão divididos, excluindo-se aqueles recebidos por herança”, explica.
Ah, e sem o contrato, até mesmo o padeiro do local onde o casal costumava comprar pão pode servir de testemunha de que havia uma relação conjugal. Sim! Basta que existam testemunhas que vejam o casal no seu dia a dia, reconhecendo-os como tal, vendo neles uma verdadeira família.
Hugo explica ainda que outras provas podem ser os prints das redes sociais (onde normalmente as pessoas mostram toda a sua vida), fotos antigas, o contrato de compra de um imóvel em conjunto, mensagens de Whatsapp. “Tudo isso, certamente, serviria para mostrar o tempo em que o casal esteve juntos e muitas vezes comprovar aquilo que eles construíram juntos, mas quem poderá verificar isto, de fato, será o advogado do caso.”
Por essas e outras, explica o advogado, mesmo morando juntos, essa atitude perante a lei é fundamental. “Importante lembrar que mesmo para casais que estão há muito tempo juntos, mas que ainda não têm qualquer documento que prove a união, nunca é tarde para ir ao Cartório regularizar a situação e, para aqueles que estão há muito tempo juntos, com sua união estável reconhecida, nunca é tarde para se casar também. É válido frisar que todas as regras se aplicam a casais homoafetivos também”, finaliza.

terça-feira, 29 de dezembro de 2015

Microsobrevivência: canal salva a vida de quem não manja nada de forno e fogão

O melhor amigo de toda pessoa que mora sozinho é ele, esse incrível e querido eletrodoméstico que nos poupa tempo e faz nossa vida tão mais prática, ele: o micro-ondas!

Eu confesso que sou uma usuária bem chinfrim. Uso pra muito pouca coisa… uma pipoca de micro, um brigadeirinho de caneca, para esquentar um pratinho de comida e só. Mas tem gente que manda muito, mas muito bem com ele.
Aliás, tem gente que manja tanto do assunto que resolveu dividir esses conhecimentos com os outros, como o paulista Filipe Nascimento. Há 3 anos ele decidiu registrar receitas fáceis, que quebram o maior galho em um canal no Youtube, o Micro Sobrevivência.


 “Eu sempre gostei de cozinhar e queria elaborar algo com cervejas especiais, resolvi fazer um canal de culinária onde preparo todo tipo de comida no micro-ondas e harmonizo com uma cerveja diferente. Sou o único no mundo 100% no micro-ondas”, explica.
As receitas do Filipe vão muito além de pipoca, arroz ou brigadeiro e rola muita coisa interessante como arroz carreteiro, brownie de kit kat, escondidinho de carne seca e até coisas que jamais imaginei que eu poderia sequer tentar fazer no micro, como batata frita, bife à milanesa e até sorvete! Ah, e não dá pra não deixar de conferir as super receitas de sushi de bacon, coxinha de brigadeiro e do frango tradicional da rede de fast food americana Hooters!
O método de escolha para as receitas dos vídeos é o de tentativa e erro. Além disso, ele se obriga a usar o micro-ondas no dia a dia. “Nem tenho fogão em casa”, conta.
O sucesso do canal com mais de 60 mil inscritos reflete o cotidiano de uma turma que não tem muito tempo a perder na cozinha e muitas vezes pouco talento culinário. Além disso, o Micro Sobrevivência virou queridinho da galera que mora sozinha e que improvisa muito solta na hora de se alimentar.
Os planos de Filipe seguem em frente. O paulista pensa agora em lançar um livro de receitas do canal e ainda uma linha especial de comidas para micro-ondas.
Confira uma das receitas que mais curto do Microsobrevivência:

Gostou desse post? Você pode conferi-lo também na editoria Lado B, do Campo Grande News, onde o Casa de Um tem uma coluna semanal! Não deixe de conferir!

--------------------------------------------------------------------------------------------------------

Evelise Couto é jornalista e moradora da @casadeum.
Depois de amargar um tempinho morando sozinha, agora divide a casa com um noivo, dois cachorros e uma tartaruga.
Seu instagram é @evelise_

sábado, 19 de dezembro de 2015

Pra decorar a casa: Natal facim, facim!

Em véspera de Natal, tem quem ainda não tenha arrumado a casa para o Natal. Até falei disso na minha coluna no Campo Grande News nessa sexta-feira! Clica aqui ó!

Para ajudar quem ainda está sem ideias, reuni algumas sugestões diferentes e muito fáceis para você tentar fazer em casa.

Com pinhas e miçanguinhas você já pode ter mini-árvores!

Galhos e piscas-piscas <3

Uma árvore feita de boas lembranças!
Vidros e bolinhas! Você pode usar copos e jarras!

As de cerveja também valem!
--------------------------------------------------------------------------------------------------------

Evelise Couto é jornalista e moradora da @casadeum.

Depois de amargar um tempinho morando sozinha, agora divide a casa com um noivo, dois cachorros e uma tartaruga.

Seu instagram é @evelise_




segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Catsitter é opção segura e cheia de amor para quem vai deixar o pet sozinho

Uma das grandes dificuldades de quando a gente mora sozinho e tem um pet em casa é a hora de viajar. Não é sempre que um amigo, alguém da família ou algum vizinho pode cuidar do nosso bichinho, por isso, logo surge aquele impasse: será que devo deixá-lo em um hotelzinho?

Pensando nisso, a publicitária Carol Valdez trabalha há um ano e meio como catsitter. Isso mesmo que você leu: catsitter. Em uma tradução bem livre, babá de gatos. A ideia surgiu da necessidade que ela mesma teve. "Eu não queria deixar meus 3 gatos em hotel pois lá eles ficariam em gaiolas fechadas, precisariam se deslocar do seu ambiente seguro e confortável, e isso para mim foi o "detalhe" que mais me incomodou".

Carol conta que gatos quando saem do ambiente onde estão acostumados, se sentem ameaçados. Eles não são como cães que se adaptam rapidamente, são delicados, meticulosos e alguns deles quando precisam ficar em hotel ou em outro ambiente estranho, chegam a parar  de comer, de fazer suas necessidades e até de tomar água. "Como sempre tive este cuidado com os meus, eu buscava alguém que pudesse cuidar deles na minha casa. Fui para o Google e encontrei uma Catsitter, porém em Salvado. Ela foi minha maior referência. Entrei em contato com ela, conversamos, trocamos muitos e-mails e a partir disso, me tornei uma Catsitter, pois aqui mesmo em Campo Grande eu não havia encontrado uma pessoa que me atendesse nesse ponto", explica.

O trabalho de Carol - que ela prefere chamar de terapia- funciona da seguinte maneira: ela se desloca até a casa dos tutores, assim não é necessário que o animal mude de ambiente. A visita é diária, dura em média 1 hora,e durante esse tempo ela busca fazer tudo que o tutor faz. "Limpo a caixa de areia, troco água, dou ração, faço escovação do pelos caso ele seja acostumado, faço recreação e interajo com o gatinho desde que ele esteja disposto, sem alterar a rotina do animal. O intuito é fazer com que o gatinho não se sinta abandonado com a ausência do seu tutor", explica.

Durante a visita, o tutor recebe informações sobre o bichano via Whatsapp, com envio de fotos, vídeos e, dependendo do caso, a catsitter liga para o tutor para passar o boletim sobre o bichinho. Cachorros também são aceitos, desde que sejam de pequeno porte, mas o foco do trabalho de Carol é mesmo nos felinos.

Cada vez mais gente tem buscado serviços como o de Carol. A catsitter afirma que isso acontece porque os pets acabaram virando parte da família das pessoas. "Percebo que quem me procura são aqueles que não os enxergam apenas como animais e sim, os consideram como filhos e não medem esforços para o bem estar deles. Acredito que contratar uma Catsitter é proporcionar qualidade de vida para o bichano"

Se você quiser conhecer melhor o trabalho de Carol, pode acessar seu siteou visitar a fanpage Cat Sitter MS - Babá de Gatos  


--------------------------------------------------------------------------------------------------------

Evelise Couto é jornalista e moradora da @casadeum.

Depois de amargar um tempinho morando sozinha, agora divide a casa com um noivo, dois cachorros e uma tartaruga.

Seu instagram é @evelise_


Poderá também gostar de:

thanks for coming!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...